Matérias sobre Gravidez

Lingeries para a gravidez e o pós-parto
Gravidez exige cuidados com estresse, alimentação e vacinas
Testes que indicam período fértil podem ajudar mulheres que querem engravidar
Dicas de Como Manter Seu Estilo Antenado Mesmo Durante a Gravidez
Como Escolher o Berçário
25 perguntas e respostas sobre o bebê
Lingeries para a gravidez e o pós-parto
40 Dicas Importante e Úteis para os Papais de Primeira Viagem
Sintomas do trabalho de parto
Cuidados para Evitar a Toxoplasmose na Gravidez
Dicas para Mães de Primeira Gravidez = Antes, Durante e Depois do Parto
Ganhar peso na gravidez, não significa engordar
Dicas básicas de amamentação
9 Dicas para dormir melhor durante sua gravidez
15 respostas para mulheres que tiveram parto cesariano
Cordão umbilical: vale a pena guardar?
Alimentação X Fertilidade
Endometriose
Mortalidade Materna
Riscos da Hipertensão na Gravidez X Eclâmpsia e DHEG (Doença Hipertensiva Especifica da Gravidez)
Gravidez Tardia & Técnicas de Reprodução Assistida
A Importância da Escolha do Sapato e Cuidados com os Pés Durante a Gravidez
Exame Pre-Natal diagnostica Anomalias fetais com mais de 90% de Precisão
Uso de Cosméticos em Gestantes Exige Cuidados
Academias de Ginásticas e Programas Específicos para Grávidas
Acerte na Cor da sua Roupa de Grávida para o Reveillon
Antecipando Algumas Surpresas e Contando 19 Coisas que Provavelmente Você Só Descobriria Durante a Gravidez
Atividades Fisicas para Gestantes
Tudo que você precisa saber dos 13 Principais Mitos sobre Amamentação
50 motivos para evitar uma cesárea desnecessária
Como Evitar ou Tratar das Estrias Durante a sua Gravidez
Detalhes da Evolução do Feto e da sua Gravidez Semana a Semana
Escolha do sexo do bebê
Medidas Fetais = Peso e Tamanho do Bebê na sua Barriga
Shantala
Direitos da gestante
Signos X Personalidade de seu Bebê
Tabela de Vacinação do Bebê
Dicas sobre Amamentação
Posições para Amamentar com Mais Conforto
Como Preparar os Seios Para a Amamentação
Resposta para Dúvidas Comuns sobre Amamentação
Vantagens da Amamentação
Direitos da Gestante
Respostas para 16 Perguntas e Dúvidas Comuns de Grávidas sobre os Direitos das Grávidas
Dez Direitos da Gestante promulgados pela Organização Mundial de Saúde
Dicas de uma Especialista em Medicina Esportiva e Nutrologia s/ Atividade Física na Gravidez
Exercícios Posturais para Gestantes
Exercícios, Ginástica, Natação durante a Gravidez
Exames durante a Gravidez
Gravidez Tardia
Veja se você está preparada para ser mãe mesmo depois dos 35 anos?
Gravidez Depois dos 35 Anos
Nervos À Flor da Pele
Dicas de uma Fisioterapeuta sobre Gravidez e Mudanças no Corpo da Gestante
Orações para Grávidas & Nossa Senhora do Bom Parto
Dicas de uma Nutricionista s/ Alimentação na Gravidez
Gestantes e Suplementação de Ômega 3: importante ou não?
De Olho na Balança + Calcule seu Índice de Massa Corporal (IMC)
Dicas do que fazer para melhorar e garantir o desenvolvimento do bebê em termos de sua alimentação
25 Dicas de Como não Engordar Muito Durante a Gravidez
Peixes na Gravidez
O Pomar Ideal da Gravidez
Principais nutrientes de que você e seu nenê necessitam durante a gestação
Informações Úteis sobre a Alimentação da Grávida
Alimentos priorizados durante a gestação
O Estresse Atrapalha
Infertilidade & Técnicas para Ajudar a Engravidar
10 Sinais de que Você Pode Estar Grávida
É Possível Escolher o Sexo do Bebê?
Dicas de Como Engravidar
Check List Completo de Tudo O Que Precisa Fazer para Organizar um Chá de Bebê e/ou Fraldas
15 Brincadeiras para Você Fazer no seu Chá de Bebê e/ou Fraldas
Dicas de Como Organizar um Chá de Bebe Bem Legal e Animado
Sintomas Normais da Gravidez + Dicas Úteis sobre Cada uma
11 Perguntas e Frases que Mais Vai Ouvir Durante Toda a sua Gravidez
Respostas para 45 Perguntas e Dúvidas Comuns de Grávidas sobre o Parto
5 Maneiras de Acalmar a Ansiedade da Grávida
Respostas para 15 Perguntas e Dúvidas Comuns de Grávidas sobre a Gravidez
Como Solucionar os Enjoos durante a Gravidez
Tudo que você precisa saber dos 13 Principais Mitos sobre Amamentação

Acabe com os medos e as dúvidas que surgem sobre esta importante etapa e curta cada momento com o seu bebê de maneira plena e prazerosa.

Por Andrea Luna

Desde a concepção, a futura mamãe ouve um monte de dicas e conselhos que são difíceis de distinguir entre realidade e mito.

“No início da gestação, toda mulher deveria passar por um programa educativo sobre o aleitamento. E assim entender a importância do leite materno para a criança, como é produzido no organismo e como funciona a glândula mamária. Num segundo momento, no final da gestação, ela deveria aprender a técnica certa de como amamentar o filho e os eventuais problemas que possam surgir, assim como a prevenção dos mesmos, como é o caso das rachaduras ou do leite empedrado”, recomenda Maria Antonieta de Barros Leite Carvalhaes, professora de nutrição materno-infantil da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

E como conselho não aumenta a produção de leite, esclareça a seguir suas dúvidas sobre o assunto e fique tranqüila na hora de alimentar o seu filhote. Confira também uma técnica que ajuda o leite fluir facilmente.

1) Antes mesmo do nenê nascer a mulher já produz leite.

Verdade.

Na metade da gravidez, a secreção do colostro (primeiro alimento produzido pela mama) é visível. Isso acontece porque já ocorre a síntese de proteína e de gordura, mas em menor proporção. Após a expulsão da placenta e a diminuição dos hormônios esteróides, essa síntese é total. “A formação do leite acontece devido ao estímulo da glândula mamária, que age no hormônio prolactina, gerando a produção do alimento em maior quantidade”, completa Regina Aparecida Andrade, responsável pelo Grupo de Apoio ao Aleitamento do Hospital e Maternidade Albert Einstein, em São Paulo.

2) Apesar de parecer ralo, o colostro é importante para o bebê.

Verdade.

Mesmo sendo uma secreção viscosa e até rala, o colostro tem grande concentração de imunoglobulinas, elementos que protegem o recém-nascido contra microorganismos presentes no canal do parto, além de sais minerais e vitaminas. Além disso, ele fornece todos os nutrientes e anticorpos necessários para o bebê se manter saudável e se desenvolver normalmente.

3) Há mulheres que não têm leite.

Falso.

Toda mulher é potencialmente capaz de produzir leite em quantidade e qualidade suficientes para suprir as necessidades do seu bebê. Porém, existem mães que, eventualmente, podem sofrer alterações nessa capacidade, devido a fatores externos ou mesmo interno. “Algumas cirurgias na mama podem interferir na produção ou na saída do leite, assim como alguns distúrbios hormonais também podem interferir”, esclarece Marcia Regina da Silva, responsável pelo Grupo de Apoio ao Aleitamento Materno, o GAAM, do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo.

4) Algumas mães produzem leite fraco.

Falso.

Não existe leite fraco. Algumas mulheres confundem a integridade do leite com sua coloração, às vezes mais clara e com aspecto aguado, geralmente, no início de cada mamada. “Este é o leite denominado anterior, rico em proteínas, glicose, sais minerais e vitaminas. Já o leite do final da mamada é mais denso, com micelas de gordura. Daí a confusão. Porém, ambos são riquíssimos e importantes para o bebê”, explica Regina Andrade. O bebê deve ser amamentado de acordo com as necessidades dele, sem tempo determinado. Cabe à mãe analisar o estado da mama e fazer o rodízio.

5) Beber água é essencial para garantir o alimento.

Verdade.

A ingestão de líquidos em geral é um dos fatores mais importantes para manter a mulher hidratada e repor a reserva do organismo, que é usada na produção do leite. Beba pelo menos 2 litros por dia.

6) Cerveja preta deve ser incluída na dieta da mulher que amamenta.

Falso.

Além de ter efeito calmante e ser calórica, a cerveja preta traz álcool em sua composição, substância prejudicial ao bebê, já que é absorvida pelo organismo da mãe e passa para o leite. Por isso, nada de sair tomando todas com esse pretexto! “E se alguém oferecer, recuse. Diga que foi instruída pelo seu médico a não consumir esse tipo de alimento, pois pode fazer mal ao seu filho”, aconselha Maria Antonieta.

7) Comer canjica ajuda a aumentar a quantidade de leite.

Falso.

Não existem estudos científicos que comprovem esta relação. E saiba que a canjica é rica em calorias, o que pode ser motivo para ganhar quilinhos a mais. Lembre-se que a alimentação durante o período de amamentação deve ser equilibrada, com a ingestão de muita proteína, para manter a adequada produção de leite.

8) A pegada do bebê influencia na quantidade do alimento.

Verdade.

Quanto melhor o bebê estiver posicionado ao corpo da mãe, realizando uma pegada correta, maior será o volume de leite produzido pela mulher. A pegada ideal é aquela em que a boca do pequeno cobre grande parte da aréola, com o lábio inferior voltado para fora, bochechas arredondadas e seguida de movimentos ampliados de abertura e fechamento da mandíbula.

9) É normal sentir dor durante os primeiros dias da amamentação.

Falso.

Se o bebê está realizando uma pegada correta na hora de mamar, a mãe pode sentir apenas uma sensação de “puxão” no mamilo. Porém, se o bebê adormece com o mamilo na boca ou se a pegada estiver errada ele poderá gerar alguns traumas que causam dor e dificultam a drenagem do leite. “Em geral, as mamas ficam doloridas no início do processo de aleitamento até a mãe aprender a técnica correta, mas o ideal é que não haja dor”, alerta Marcia Regina, do Hospital e Maternidade São Luiz.

10) Na mulher que fez cesariana o leite demora mais a descer.

Falso.

Isso não está relacionado, necessariamente, ao tipo de parto. O que influencia na descida do leite materno é o contato do bebê com a mãe, bem como a primeira mamada, que deveria acontecer ainda na primeira hora de vida da criança.

11) Quem possui mamas pequenas produz menos leite

Falso.

O tamanho das mamas não tem relação alguma com a quantidade de leite produzido pela mãe.

12) O leite materno só é bom para o bebê até os seis meses de vida.

Falso.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é alimentar o bebê até os seis meses exclusivamente com leite materno. Porém, após esse período, recomenda-se inserir outros alimentos na dieta da criança, mas ainda manter algumas mamadas (pela manhã e noite) até os dois anos de idade.

13) Amamentar provoca a flacidez dos seios.

Falso.

Pesquisa divulgada pela Universidade do Kentucky, nos Estados Unidos, provou justamente o contrário. Segundo os pesquisadores, entre os principais fatores causadores da flacidez estão a idade, o número de gestações e o cigarro. “O fumo quebra uma proteína da pele chamada elastina, que dá à pele uma aparência jovem e flexível e também apoio aos seios”, diz o cirurgião plástico Brian Rinker, autor do estudo. Assim, é correto afirmar que a gravidez só provoca o aumento das mamas.

Fonte: Revista Meu Nenê - Edição 120 de Abril/2008